Envie para um amigo



Fale com a Diretoria

Tem alguma dúvida? Precisa saber sobre alguma demanda como filiado? Quer contribuir com sugestões, ideias ou críticas?

Envie uma mensagem para a DS Ceará. Queremos ouvir você!




Maioria dos filiados à DS/CE se abstém na Assembleia Nacional e aprova Declaração de Voto reiterando a necessidade de uma Plenária Nacional

5, julho, 2018

Os filiados à DS/Ceará se reuniram em Assembleia Nacional, em Fortaleza, Sobral e Juazeiro do Norte, nos dias 03 e 04/07. Diante do cenário atual, a maioria dos presentes decidiu abster-se na votação relativa ao Indicativo único, que propunha a suspensão de todas as formas de paralisação. Os que se abstiveram apresentaram suas razões em uma Declaração de Voto que pode ser lida aqui.

O presidente da DS/CE iniciou a Assembleia em Fortaleza dando espaço para as análises de conjuntura, e como subsídio para as discussões, leu encaminhamento de Declaração de Voto pela abstenção ao indicativo único, com reflexões sobre os aspectos que deixavam de recomendar as demais opções: apoiar, rejeitar ou mesmo ignorar tal votação.

Na análise de conjuntura e nos debates prévios sobre o indicativo, vários filiados trouxeram sua visão da grave situação da categoria e da RFB.

Destacaram-se ponderações sobre as deficiências do movimento e as dificuldades de uma eventual volta da categoria aos trabalhos. Avaliou-se, ainda, que o votar SIM significaria afiançar o presidente da Câmara dos Deputados e a condução nacional do Sindifisco; votar NÃO significaria perpetuar e legitimar a desgastante e mal conduzida atual mobilização; abster-se tomou-se uma imposição. Considerou-se também que abster-se não é se eximir de votar, mas a expressão de quem se encontra numa encruzilhada que não oferece solução adequada.

O Coordenador Substituto do CRM03, Auditor-Fiscal Alexandre Câmara, respondendo a questionamento de um dos presentes, esclareceu que a posição do CNM era a de apoiar a suspensão do movimento, conforme proposto pela DEN. Tal entendimento firmou-se por maioria de votos no Comando Nacional. Seu voto restou vencido, pois entendia que tal suspensão representava o sepultamento da mobilização, diante de um Governo que não merece voto de confiança pela categoria.

Ainda nos debates, aflorou a avaliação de que nossas lideranças deveriam seguir o exemplo dos grandes líderes militares, que, diante da limitação frente ao oponente, têm a dignidade de recuar e reavaliar sua estratégia. Segundo o colega, a mobilização já está morta há algum tempo e o governo sabe muito bem disso. Noutro pronunciamento fez-se a seguinte análise: há dois cadáveres insepultos - a greve e a regulamentação do bônus. Com o Indicativo proposto, a Direção Nacional quer acabar com um desses “cadáveres”, colocando para a categoria o peso sobre essa decisão: apoiando o indicativo você sepulta a greve; rejeitando-o você sepulta a regulamentação do bônus.

Em Fortaleza, concluída a votação relativa ao Indicativo único, foi aprovada por todos aqueles que se abstiveram a Declaração de Voto acima mencionada, com as razões do voto e, ainda, reafirmando o entendimento da necessidade de uma urgente e ampla Plenária Nacional, a fim de promover “um amplo e profundo debate interno com a categoria, em ambiente de formulação, necessário a iluminar os próximos passos, visando a um efetivo resgate de luta em prol do cargo, em benefício da Sociedade”.

Confira aqui o resultado final da votação no Ceará.